8/29/2018 6:02:08 PM

O que Bill Gates disse sobre o futuro do desenvolvimento de software?

Desenvolvimento Customizado Software Bill Gates

Dagoberto Hajjar que trabalhou por mais de 10 anos na Microsoft, teve o prazer de jantar com Bill Gates e conseguir a percepção dele sobre o futuro do desenvolvimento de software.

Eu trabalhei na Microsoft por muitos anos e tive o privilégio de jantar com o Bill Gates, por conta de um prêmio recebido em 1995. É claro que é uma grande honra, mas eu fiquei três noites sem dormir pensando "coisas inteligentes para falar para ele". 

Pedi ajudar para meu chefe que disse "não pense no que falar, mas pense no que perguntar". E foi o que fiz. 

Logo no início do jantar eu perguntei "o que o senhor acha que será o futuro do desenvolvimento de software?".   A resposta dele durou quase 3 horas, e me salvou de ter que fazer mais perguntas.

Ele me explicou que o desenvolvimento de software seria cada vez mais sofisticado e que, a maioria das empresas adotaria um modelo de terceirização. Então, segundo ele, teríamos empresas com grande especialização em desenvolvimento de software, usando ferramentas de gestão e produtividade, e fazendo com que o produto final tivesse alta qualidade. Estas empresas montariam grandes bibliotecas de códigos, permitindo que o desenvolvimento do software fosse feito de maneira muito mais rápida.

Ele teceu um paralelo para me explicar sua teoria. 

No início do século, as indústrias precisaram ter seus próprios geradores de energia elétrica. O tempo passou e este “serviço” passou a ser oferecido pela infra-estrutura pública, com qualidade e preços mais baixos. Em 1980-85, os bancos Brasileiros precisaram criar suas próprias redes de telecomunicações, mas hoje, utilizam serviços compartilhados de redes público-privadas - muito mais eficientes e baratas. 

Segundo ele, já no começo de 2000 teríamos várias empresas entendendo de que o desenvolvimento de software deveria sair de suas empresas e ir para empresas especializadas, como foram os geradores de energia elétrica, e como foram as redes de telecomunicações.

Estamos em 2018 e vejo o quanto o software é fundamental, hoje, para as empresas. Toda a inteligência dos negócios está dentro de software capaz de aprender, analisar e recomendar ações. Empresas como o Uber, AirBnb e Netflix são empresas que dependem totalmente de software. 

Vejo também a multiplicidade de dispositivos, plataformas e ambientes, exigindo grande competência, conhecimento e especialização dos desenvolvedores. E por final vejo os requisitos, cada vez maiores, de segurança e governança, agregando mais uma camada de especialização.

Fico pensando no jantar e na grande aula que tive em 1995, e na grande evolução que tivemos desde então. 

Hoje, realmente, não faz sentido você gerar sua própria energia elétrica, nem montar sua própria infra-estrutura de telecomunicação, nem ter uma equipe de desenvolvimento de software dentro de casa.


Por Dagoberto Hajjar - Mais de 35 anos de experiência nas áreas de negócios e TI, trabalhou durante 10 anos na Microsoft e fundou a ADVANCE consulting onde já atendeu mais de 2500 clientes.

Compartilhe: